25/05/2021

16h às 19h

COLÓQUIO

Significados do Profissionalismo na Educação

 

No cenário atual de transformações no mundo do trabalho, três são as vertentes de significados mais frequentes para as ideias de profissional e de profissionalismo.

 

A primeira é a que se refere à Educação Profissional, ou ao Ensino Profissionalizante,
associada a uma formação em nível técnico, de longa e bem-sucedida tradição entre nós.

 

A segunda é a que se associa a certo prolongamento histórico das chamadas Profissões Liberais, caracterizadas pela competência técnica e pelo prestígio social.

 

A terceira é a que, em tempos mais recentes, busca caracterizar um renascimento da ideia de profissionalismo, especialmente em âmbitos como os da Saúde, da Educação, do Direito, da Diplomacia, entre outros.

 

A partir do fato de que, no mundo atual, existem ocupações que não podem ser totalmente
reguladas nem pelo Mercado, nem pelo Estado, tal caracterização estaria fundada no tripé competência técnica, no compromisso público e na autorregulação do exercício profissional. Debater as confluências e as divergências entre tais perspectivas, com destaque para o papel de instâncias de autorregulação, com destaque para os Conselhos, em seus diversos níveis, é o objetivo maior deste Colóquio.

 

Nílson José Machado

Curador

 

 

 

 

Como participar?

O Colóquio será transmitido no canal da Cátedra no YouTube. Não é preciso fazer inscrição prévia. O envio de perguntas e comentários será feito pelo chat do YouTube.

Haverá certificado de participação?

Sim. Para entender como funciona o processo de certificação, leia nossas orientações clicando aqui.

 

 

 

Programação

25 de maio, 16h

Abertura

Naomar de Almeida Filho

O Mundo do Trabalho hoje

Nílson José Machado

Baixe aqui o material de apoio

A Educação Básica e o Ensino Profissionalizante

Francisco Cordão

Baixe aqui o material de apoio

Profissões Liberais: História, Estatuto, Status

Ana Paula Magalhães

Baixe aqui o material de apoio

Profissão: Compromisso Social e Autorregulação

Nílson José Machado

Profissionalismo: O papel das instâncias autorreguladoras

Bernardete Gatti

 Debates e Encerramento

Participantes

Naomar de Almeida Filho Professor Titular aposentado do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA. Ph.D. em Epidemiologia. D.Sc. Honoris Causa pela McGill University. Professor Visitante em várias universidades: UNC-Chapel Hill, UC-Berkeley, Universidad Nacional de Lanús, Université de Montreal e Harvard University. Pesquisador I-A do CNPq. Foco da atividade científica: epidemiologia social em saúde mental. Autor de livros sobre metodologia e epistemologia no campo da Saúde Coletiva. Foi Reitor da UFBA (2002-2010) e da UFSB (2013-2017). Atualmente é Professor Visitante no Instituto de Estudos Avançados da USP, titular da Cátedra de Educação Básica, onde conduz estudos sobre a relação entre universidade, história e sociedade.

Nílson José Machado Professor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP). Ingressou na USP como docente em 1972, no Instituto de Matemática e Estatística. A partir de 1984, transferiu-se para a Faculdade de Educação. É Mestre em História e Filosofia da Educação pela PUC-SP (1981), Doutor em Filosofia da Educação pela USP (1989), Livre Docente em Epistemologia e Didática pela FEUSP (1994), sendo Professor Titular da FEUSP desde o ano 2000. Desde 2016, é PROFESSOR SENIOR da FEUSP. Já orientou mais de 6 dezenas de mestres ou doutores no Programa de Pós-Graduação da FEUSP. Durante quatro mandatos, foi Chefe do Departamento de Metodologia do Ensino e Educação Comparada da FEUSP. No biênio 1993/94, foi Professor Visitante no Instituto de Estudos Avançados da USP, no Programa Educação para a Cidadania. Participou, entre 1998 e 2002, da equipe que elaborou o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), e coordenou a equipe que elaborou o atual Currículo de Matemática do Estado de São Paulo, em 2008-2009. Atualmente, é membro do Comitê Executivo da Cátedra de Educação Básica do IEAUSP/ITAÚ SOCIAL.

Francisco Cordão Educador, sociólogo e filósofo, Francisco Aparecido Cordão, possui graduação em Filosofia e Pedagogia e pós-graduação em Educação Profissional, Administração Educacional e Sociologia da Educação. Foi Presidente do Conselho Estadual de Educação do Estado de São Paulo e da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação. Tem atuado como conselheiro, tanto nesses órgãos quanto no Fórum Nacional de Conselhos Estaduais de Educação. É membro da Academia Paulista de Educação e representou o Brasil no MERCOSUL Educacional. Atuou durante mais de 30 anos no Senac de São Paulo, é conferencista e trabalha com sistemas, organizações e instituições como Senac, Sesc e Representação da UNESCO no Brasil.

Ana Paula Magalhães Doutora em História Medieval pela Universidade de São Paulo, com a tese “Contribuição à questão da pobreza presente na obra Arbor vitae crucifixae Iesu, de Ubertino de Casale”. Desenvolveu, nos níveis de Mestrado e de Doutorado, pesquisa a respeito dos conflitos no interior da Ordem Franciscana entre os séculos XIII e XIV. Atualmente, ocupa-se do tema das relações entre o império e o papado na obra política de Guilherme de Ockham (século XIV). É autora de conferências, cursos e artigos dedicados à evolução da Ordem Franciscana e às relações de poder no ocidente europeu na Baixa Idade Média. Desde setembro de 2004, é Docente do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP), na disciplina de História Medieval. É membro da “Associação Brasileira de Estudos Medievais” (ABREM) e integra o GT de Estudos Medievais da Associação Nacional dos Professores Universitários de História (ANPUH).

Bernardete Gatti Com mais de 50 anos de atuação na área da educação, Bernardete Gatti é uma das maiores referências do país quando se trata da formação e qualificação de professores da educação básica. Formada em pedagogia pela USP com pós-doutorados no Canadá e nos Estados Unidos, Bernardete preside atualmente a Câmara de Educação Básica do Conselho Estadual de Educação do Estado de São Paulo. Anteriormente, havia presidido também o Conselho. Na Cátedra, Bernardete integra o Comitê Consultivo e costuma participar das atividades desenvolvidas, como seminários e minicursos.

​​​