Ciclo de Minicursos

Educação Básica: Práticas e Didáticas

Entre fevereiro e dezembro de 2021

19h00 às 21h30

 

Confira todas as datas:

1º Semestre

2º Semestre

Em 2021, a Cátedra de Educação Básica da USP continuará oferecendo atividades virtuais e gratuitas para professores do ensino básico, estudantes de licenciatura, pesquisadores e outros interessados na área.

Os minicursos ocorrem às
terças e quintas-feiras, das 19h às 21h30 [confira todas as datas do 1º semestre abaixo, e do 2º semestre clicando aqui].

Os minicursos são independentes, cabendo ao interessado escolher qual ou quais deseja assistir. A transmissão será sempre pelo canal do YouTube da Cátedra, e não será preciso se inscrever.

Serão concedidos atestados de participação para cada minicurso. Os interessados deverão preencher um formulário enviado durante a transmissão. Leia nosso guia de orientações clicando aqui.

Confira abaixo a lista completa de minicursos com as respectivas ementas. Para descer diretamente à lista do 2º semestre, clique aqui.

 

ATENÇÃO: Todos os minicursos abaixo serão das 19h às 21h30.

 

Minicursos do 1º SEMESTRE

(Clique aqui para descer até o 2º semestre)

 

 

23 de fevereiro: Breve História da Ideia de CompetênciaNilson José Machado

Clique aqui para assistir

Baixe aqui o material de apoio

Ementa

1. A Escola e as Disciplinas: Ler, Escrever e Contar (3Rs)
2. Currículos no Ocidente: O Trivium e o Quadrivium
3. A Ciência Moderna e a fragmentação disciplinar: Multi, Inter, Intra, Transdisciplinaridade
4. Áreas do Conhecimento e Centros de Interesse (STEM, STEAM, ...)
Questão crucial: Atualizar os 3Rs ou explicitar noção de Competência?

25 de fevereiro: Competências e Habilidades: Visão Inicial do Enem (1998-2008)Lino de Macedo

Clique aqui para assistir

Baixe aqui o material de apoio

Ementa
1. Um exercício de explicitação das competências a partir das disciplinas
2. Síntese: 5 competências básicas e 21 habilidades

3. A estrutura do Exame original do ENEM
4. Quadro atual: áreas do conhecimento

9 de março: Retratos de Escolas: Práticas e Atores - Yvonne Mascarenhas e Herbert João

Clique aqui para assistir
Baixe aqui o material de apoio

Ementa

Objetivos: Mobilizar os professores à promoção da profissão docente; discutir boas práticas e o protagonismo do professor na construção de ambientes escolares acolhedores para profissionais e discentes, espaços promotores da cidadania.
– Melhores práticas, inovações e ações de professores: impactos na realidade local, motivação, diminuição
da evasão, relação professor-aluno-comunidade.
– Práticas interdisciplinares.
– Uso das tecnologias no ensino.
– Ações da sociedade civil (ONGs) que modificaram a realidade local.
– Competições como estímulo ao estudo (Olimpíadas Científicas).
– Ações de valorização da profissão docente.

11 de março: A Universidade MedievalAna Paula Magalhães, Naomar Almeida Filho e Daniel Puig

Clique aqui para assistir

Clique aqui para baixar o programa da aula e a bibliografia/videografia recomendada.

Ementa:
Nascida na Idade Média, a Universidade surgiu como uma corporação de ofício que reunia mestres e
aprendizes numa relação de transmissão de saberes. Entretanto, ao contrário das tradicionais
corporações de artesãos e mercadores, restritas a preocupações internas dos ofícios e particularismos 

locais, sua linguagem e objetos de interesse sempre tenderam a abarcar o universal, em um 

esforço de síntese que pretendia dar conta de todos os saberes. Fundada em 1088, a Universidade 

de Bolonha é considerada a primeira das instituições deste gênero, mas a ela seguiram-se outras, 

tais como a Universidade de Paris e a de Oxford, que adquiriram grande projeção ao longo dos 

séculos XIII e XIV. Foi nas universidades medievais que o pensamento aristotélico foi redescoberto 

e cultivado, o que abriria caminho para o desenvolvimento do pensamento filosófico e científico que 

moldou o mundo moderno.  

23 de março: A ideia de Competência: Uma Visão EpistemológicaNilson José Machado

Clique aqui para assistir

Baixe aqui o material de apoio

Ementa

1. Três dimensões fundamentais: Pessoalidade, Mobilização, Âmbito
2. Três pares fundamentais: Pessoalidade / Integridade, Mobilização / Conteúdo, Âmbito / Imaginação
3. Um Novo Trivium? Expressão / Compreensão, Argumentação / Decisão, Contextuação / Extrapolação
4. Três Eixos Fundamentais: Eu / Outro, Análise / Síntese, Concreto / Abstrato

25 de março: A ideia de Competência: Uma Visão PsicológicaLino de Macedo

Clique aqui para assistir

Baixe aqui o material de apoio

Ementa

1. Significações de competência para Jean Piaget
2. O que é competência para Zabala e Arnau?
3. A situação-problema como estratégia de aprendizagem de habilidades que desenvolvem competência
4. Análise psicológica de competências e habilidades na educação

6 de abril: Cabanis, ignoradoNaomar Almeida Filho e Mariana Saad

Clique aqui para assistir

Baixe aqui o material de apoio

Ementa

Neste curso, primeiro, apresentamos uma nota biográfica sobre Georges Cabanis (1767-1836), filósofo, educador, político, médico. Em seguida, mostramos como, após a Revolução de 1789, juntamente com Mirabeau e Condorcet, Cabanis realizou reformas do sistema educacional, do ensino médico e da educação superior na França. Analisamos os principais
pontos da reforma do sistema de educação, destacando dimensões conceituais e político- pedagógicas da contribuição de Cabanis e seus parceiros – membros do movimento que se tornou conhecido como Idéologie. Em seguimento, discutimos o contexto das reformas sociais iniciadas no regime do Consulado, consolidadas no Império e mantidas na
Restauração que impactaram no modelo educacional. Finalmente, apreciamos como o modelo de educação superior gerado pela Reforma Cabanis tornou-se paradigmático em nações submetidas à poderosa influência cultural francesa, principalmente na Europa meridional e em países recém-saídos da condição de colônia, como o Brasil no tempo do
Império.

8 de abril: Do Ensino Fundamental ao Ensino Médio: Desafios da TransiçãoValter Costa e Daniel Puig

Clique aqui para assistir

Ementa

A ausência de estudos e políticas voltadas ao público adolescente nessa fase da transição do Ensino Fundamental para o Ensino Médio como reflexo da desatenção geral voltada aos jovens na formulação de políticas públicas. Panorama da produção bibliográfica voltada ao tema. Desafios da transição, algumas reflexões: perspectivas de alunos do Ensino Médio de regiões periféricas da cidade de São Paulo, suas angústias e descontentamentos diante da escola; o papel da escola, dos sistemas de ensino e das representações sociais nessa transição.

Breve estudo de caso: a experiência da implantação do Ciclo Autoral e dos Trabalhos Colaborativos de Autoria nos últimos anos do Ensino Fundamental na Rede Municipal de Educação de São Paulo. Propostas e percursos: protagonismo juvenil e culturas escolares; espaços democráticos e diálogo; compartilhamento de experiências entre os sujeitos do
processo; relações entre engajamento, motivação, planejamento e avaliação; relações entre interdisciplinaridade, currículo flexível (itinerários formativos), inclusão e permanência.

20 de abril: Competências de Professor: Dimensões FundamentaisNilson José Machado

Baixe aqui o material de apoio

Clique aqui para assistir

Ementa

1. Ação do Professor: Quatro verbos (Mediar, Tecer, Mapear, Narrar)
2. Competências do Professor: Duas dimensões decisivas (Autoridade e Tolerância)
3. Visão sintética: relação com Competências dos Alunos: Tecer/Mapear, Mediar/Narrar,
Autoridade/Tolerância Argumentar/Decidir,Contextuar/Extrapolar, Expressão/Compreensão
4. Das Disciplinas às Competências: a ponte das Ideias Fundamentais

22 de abril: Avaliação de Competências: Pessoas em AçãoLino de Macedo

Baixe aqui o material de apoio

Clique aqui para assistir

Ementa

1. Avaliação de Pessoas: julgamentos de valores
2. Avaliação em Ação: Espectro de Instrumentos
3. A situação-problema como estratégia de avaliação
4. Sobre a questão do erro
5. Sobre o quaterno Ensino / Aprendizagem / Avaliação / Desenvolvimento
6. O Método Clínico de Piaget como recurso de avaliação de processos e estádios de
desenvolvimento da criança

4 de maio: Inteligência: da Intenção da Medida à Ideia de ProjetoNilson José Machado

Baixe aqui o material de apoio

Clique aqui para assistir

Ementa

1. A intenção da Medida: Craniometria, Binet e as escalas escolares, Godard e a hereditariedade, Testes de Inteligência.

2. Quase além da Medida: Thurstone e as Faculdades Mentais. Guilford e os 120 tipos de Inteligência.

3. Para além da Medida: Zubiri e a Inteligência Senciente, Gardner e as Inteligência Múltiplas, Marina e a Inteligência Criadora; Programa, Problema, Projeto.

4. Duas metáforas em confronto: Borges e a Inteligência das Flores; A Tecnologia e a Inteligência Artificial.

6 de maio: Gramsci e a Educação PopularValter Costa e Luís Carlos de Menezes

Baixe aqui o material de apoio

Clique aqui para assistir

Ementa

1) Breves apontamentos sobre a biografia de Antônio Gramsci.
2) Os intelectuais e o papel da escola; a Sociedade Civil e a Sociedade Política
2) A proposta da Escola Unitária e a defesa da Educação Pública. A escola em tempo integral. A luta contra as desigualdades educacionais e as concepções folclóricas.
3) A busca pela autodisciplina intelectual e autonomia moral. O debate com a escola ativa. O papel dos adultos perante as novas gerações. O conceito do trabalho e o debate sobre as escolas profissionais.
4)  A escola na construção da democracia política. A contribuição de pensadores gramscianos para o entendimento da história política e da educação do Brasil.

18 de maio: Como seria a Formação Geral no Século XXI? - Luís Carlos de Menezes e Naomar
Almeida Filho

Baixe aqui o plano da atividade e a bibliografia
Clique aqui para assistir

Ementa

As incertezas deste século XXI, não somente pelas decorrências da pandemia, têm a ver com as rápidas transformações tecnológicas que, por um lado impactam o futuro do trabalho humano, por outro trazem inéditos recursos para a educação. Com essa compreensão, este minicurso envolverá quatro temáticas com clara inter-articulação:

1 – Mudanças sociais, econômicas e ambientais nas próximas décadas e a evolução de seus reflexos na concepção e organização das diferentes etapas da educação básica.

2 – Novas tecnologias e sua crescente incorporação na educação fundamental e média, tanto como recursos quanto como objetivos formativos da educação.

3 – Propostas de formação geral universitária adequadas às novas demandas de profissionalização e de formação inicial de professores da Educação Básica.

4 – Orientação para jovens conhecerem e avaliarem perspectivas profissionais presentes e futuras, considerando interesses e possibilidades pessoais.

Observação: O minicurso Método Científico e Fake News, originalmente programado para o dia 18 de maio, foi adiado para o dia 16 de novembro de 2021.

20 de maio: Realizar Tarefas e Compreender Conceitos na Escola Lino de Macedo

Baixe aqui o material de apoio

Clique aqui para assistir

Ementa

1. Por que realizar tarefas e compreender conceitos são importantes ao processo de escolarização?
2. O que é e por que tomar consciência?
3. Processos de interiorização e de exteriorização.
4. Ação, conceituação e operação como sínteses do realizar e do compreender.

1º de junho: Abordagem Maker na Educação BásicaRoseli Lopes e David Cavallo

Baixe aqui o material de apoio

Clique aqui para assistir

Ementa

1. Porque maker para aprender: Os princípios e alguns exemplos

2. Os fundamentos: ideias, aprendizagem, e ferramentas

3. Projetos, problemas e design emergente

4. Aprendendo making: sua vez

5. Criação de ambientes para facilitar o engajamento, aprendizado profundo e inclusão de todos

15 de junho: Métodos de abordagem interdisciplinarDaniel Puig e Valter Costa

Baixe aqui o material de apoio

Ementa

A experiência do Método com Projetos em Reformas Curriculares implementadas na Rede Municipal de Educação de São Paulo, em dois momentos: durante a administração de Luiza Erundina (1989-1992), com Paulo Freire como Secretário de Educação, e no período da administração de Fernando Haddad (2013-2016). Abordagem interdisciplinar de um
problema concreto, como exemplo do debate epistemológico e da aplicação prática na escola e na formação (continuada) de professores. Proposta de trabalho coletivo e compartilhamento de seus resultados entre participantes do minicurso.

17 de junho: O Território e o Currículo: Experiências do Sensível, Expectativas de TransformaçãoValter Costa e Daniel Puig 

Ementa

O minicurso aborda experiências com trabalhos curriculares que valorizam o conhecimento do Território e a interdisciplinaridade, no ensino superior e formação de professores, em unidades educacionais, colégios universitários, organizações comunitárias e atividades de extensão em diferentes regiões do país. Serão abordadas suas ressonâncias, através de depoimentos, da avaliação crítica de seus resultados e suas implicações para as práticas educacionais nos diferentes níveis de ensino.

29 de junho: Ortega y Gasset e a PedagogiaNilson José Machado

Ementa

1. A Meditação da Técnica (1939): antecipação de questões atuais sobre a Tecnologia.
2. Biologia e Pedagogia (1921): a atualidade das questões socioemocionais.
3. O Fundo Insubornável da Pessoa (1916): matriz para fundar uma Ética.
4. As Duas Grandes Metáforas (1925): uma síntese epistemológica notável.

 
 

2º SEMESTRE

3 de agosto: As Ideias de Conhecimento Tácito, a ideia de Indício e a
Multidimensionalidade na Avaliação
Nilson José Machado

Ementa 

1. Avaliação: mais do que uma Medida, um juízo de Valor. O Conhecimento Pessoal como um
Iceberg Explícito/Tácito. Objetividade, Subjetividade, Contextos.
2. Estereótipos da Avaliação: Testes, Problemas Fechados, Otimização, Problemas Abertos.
3. Para além das Provas cabais: a ideia de Indício. Classificação de obras de Arte,
Investigações Policiais, Psicanálise.
4. Multidimensionalidade da Pessoa: Espectro de Competências e de Instrumentos, Portfólio.

5 de agosto: Aprendizagem escolar e formas de abstraçãoLino de Macedo

Ementa 

1. Por que aprender na escola implica em ser capaz de abstrair?
2. Significações de abstrair ou de abstração.
3. As formas de abstração segundo Piaget.
4. Etapas do processo de reflexionamento e o problema do reconhecer.

17 de agosto: Cultura escolar e história da educaçãoDiana Vidal

Ementa:

Nos últimos anos, a cultura escolar tem se constituído em importante ferramenta
para o estudo das relações entre escola e cultura. Sem pretender inventariar os vários
entendimentos existentes, gostaria de discorrer, neste minicurso, sobre três questões
concernentes à maneira como compreendo os aportes oferecidos pela categoria à
investigação acadêmica e ao trabalho do professor em sala de aula.

São elas: a) a reflexão acerca da conservação e da inovação em educação; b) a atenção à cultura
material como elemento constitutivo das práticas escolares; e c) a valorização dos
sujeitos escolares como agentes sociais. Para tanto, pretendo entretecer a discussão
teórica à análise de fotografias e recorrer a exemplos tomados do estudo histórico
sobre a escola pública em São Paulo no século XIX.

19 de agosto: Projeto de vida e escolha profissionalHerbert João, Francisco Cordão, José
Fernando Rey

Ementa 

1. A finalidade da Educação é o “pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o
exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”.
2. “A Educação Escolar deverá vincular-se ao mundo do trabalho e à prática social”.
3. O Projeto de Vida é tema gerador essencial à Educação Escolar, para fazer sentido ao
educando, tanto no nível da Educação Básica, quanto no nível da Educação Superior.
4. O exercício do Direito à profissionalização ilumina as trilhas de aprendizagem voltadas
para as escolhas profissionais ao longo de toda a educação escolar.

5. O currículo do Ensino Médio, como etapa de conclusão da Educação Básica, é orientado,
de modo articulado, pela BNCC e pelos Projetos de Vida inspiradores de escolhas
profissionais.

31 de agosto: Licenciaturas Interdisciplinares: nova possibilidade na formação docenteDaniel Puig

Ementa:

Este minicurso apresenta temas centrais à formação docente interdisciplinar, a partir das
discussões na Cátedra de Educação Básica (IEA-USP) e da experiência de sua implantação
(UFSB). Faz uma breve discussão da relação entre formação interdisciplinar, currículo flexível,
autonomia, inclusão e permanência. Aborda as Licenciaturas Interdisciplinares (LIs) do ponto
de vista legal, analisando-as à luz das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de
Professores. Ressalta os principais fios condutores conceituais da legislação e as estratégias e
possibilidades que desdobra na construção de currículos. Ao abordar práticas e problemas,
dirige o foco para a introdução do pensamento inter-transdisciplinar na formação docente.
Nesse contexto, aponta possibilidades de cooperação entre sistemas de ensino, universidade
e escola, ou, universidade e educação básica, e suas consequências práticas para a formação
de professores.

2 de setembro: Sistema Nacional da educação e Regime de colaboração. Aspectos jurídicosNina Ranieri e Mozart Neves Ramos

Ementa 

- O Sistema Nacional de Educação na legislação brasileira.

- O art. 214 da Constituição Federal.

- Os sistemas de ensino e o regime de colaboração.

- Federalismo educacional e questões federativas.

- Projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional.

14 de setembro: Ciência ou MitoYvonne Mascarenhas e Herbert João

Ementa 

- Conhecimento cultural e empírico na construção da Ciência.
- Serendipity: a Ciência e o acaso.  
- Valorização do erro na formação do conhecimento.
- A Ciência é feita de disciplinas? 
- Sistematização do conhecimento. 
- Uso de textos de divulgação científica e reportagens para ensino das ciências.

16 de setembro: Paulo Freire: questões de didática e avaliaçãoBernardete Gatti

Ementa 

1. Ideias pedagógico-sociais em obras de Paulo Freire e a Didática
2. O conceito de dodiscência e suas implicações na relação professor-aluno
3. Sentido social do ensinar/aprender/avaliar: conhecimento, decisões e ações
4. Ação pedagógica e avaliação apreciativa mútua: autonomia e emancipação

28 de setembro: Notas sobre habilidades socioemocionaisLino de Macedo

Ementa

1. O que são habilidades socioemocionais?
2. A importância do desenvolvimento de habilidades socioemocionais na BNCC.

3. “Habilidades socioemocionais” segundo Piaget.
4. As duas funções (intelectual e moral) educacionais da escola e desafios à sua promoção.

30 de setembro: Formação dos Professores: a Forma e o ConteúdoNilson José Machado

Ementa 

1. Explicitar a inseparabilidade Forma/Conteúdo na formação do professor é objetivo principal.
2. Para desenvolver Competências como a mediação de conflitos, a cartografia de relevâncias e a
construção de narrativas significativas alguns aspectos específicos precisam ser considerados.
3. No que se refere à Forma destacam-se a Formação Permanente no tempo, a formação Ubíqua no
espaço, a integração contínua entre Teoria e Prática, e o Hibridismo no que tange ao necessário
mix entre a interação presencial e à distância.
4. No que se refere ao Conteúdo destacam-se a manutenção do foco das atenções nas Ideias
Fundamentais da disciplina, a criação contínua de Centros de Interesse, a prevalência do
Significado no confronto com a utilidade prática, e a abertura permanente para os Valores
Humanos.

5 de outubro: Escolas em fronteiras: ambientes escolaresDiana Vidal e Ana Laura Godinho

Ementa:

O minicurso propõe-se a refletir sobre as condições e os efeitos dos ambientes escolares
sobre o desenvolvimento da criança. Analisa uma amostra de discursos especializados
sobre essa questão produzidos no âmbito da psicologia, pedagogia, medicina e arquitetura
entre 1930 e 1980, quando a preocupação com a criação de boas condições para o
desenvolvimento das crianças tornou-se uma preocupação central do governo, ao ser
associada ao progresso da nação. Em vista dos discursos selecionados, considera o
ambiente escolar não apenas em sua dimensão espacial, mas também afetiva, social,
moral e política.

7 de outubro: Escolas ao ar livre: experiência de inovação pedagógicaDiana Vidal

Ementa:

O minicurso visa discutir a relação entre espaços abertos e espaços fechados de ensino a
partir de uma perspectiva histórica. Retorna às primeiras experiências surgidas na Bélgica
e na Alemanha em 1904 no âmbito do combate à epidemia de tuberculose e traça
iniciativas atuais, relacionadas à educação ambiental. O curso explora soluções
arquitetônicas e modelos de escolarização propostos ao longo de mais de um século, a
partir de imagens e diálogo com a literatura. Apresenta também experiências que
emergiram no Brasil.

14 de outubro: Pesquisa científica e tecnológica na Escola Roseli Lopes

Ementa em breve

26 de outubro: Educação 4.0: Modismo ou Equívoco?Roseli Lopes e David Cavallo

Ementa em breve

9 de novembro: Avaliação na Escola: Processos e PossibilidadesBernardete Gatti

Ementa 

1. Concepção de avaliação em sala de aula e estímulo às aprendizagens
2. Professor e avaliação de efeitos de seu próprio trabalho
3. Criação de ambiente para avaliações efetivas: fatores favoráveis
4. Processos avaliativos educativos X processos avaliativos seletivos
5. Meios diversificados para processos avaliativos: dimensão educativa

11 de novembro: O Significado das Palavras: sobre Usos e Abusos Nilson José Machado

 

Ementa 

1. A Palavra e a Ação: Reação, Coação, Resposta. Violência e Palavra. A Palavra violenta.
2. Sentidos e Significados; Denotações e Conotações; o Literal e o Metafórico; a Oralidade e a
Escrita. O Conhecimento como Rede de Relações; a Metáfora e a Alegoria como norma.
3. A ideia de Esquema: do Sensório Motor aos Esquemas de Ação; a Palavra, a Língua, a Ideologia,
a Religião como Esquemas; a Integridade em questão.
4. Sobre Usos e Abusos das Palavras: Um exemplário (Distância, Conservação, Protagonismo,
Autoridade, Preconceito, Inovação, Inteligência, ...).

 

16 de novembro: Método Científico e Fake News - José Fernando Rey e Luisa Guimarães

 

Ementa 

1. O que é ciência e o método científico? Qual é sua lógica e quais são seus argumentos?
2. Pseudociência e ciência “picareta”: como reconhecer a diferença entre essas formas e a
ciência legítima;
3. Negação ao conhecimento que não é construído pelo método ocidental via método
científico;

4. Fake News: como nascem, se espalham e o que como o método científico se relaciona com
esse fenômeno;
5. Diferença entre conhecimento tradicional e fake news;
6. Pensamento crítico: o que é e como exercitá-lo em sala de aula com a ajuda do método
científico.

18 de novembro: Contribuições de Métodos Quantitativos para a Educação – Bernardete Gatti

 

Ementa 

1. Métodos quantitativos na pesquisa educacional: visão geral.

2. Contribuições e limites dos estudos quantitativos na área da educação escolar.
3. Estudos quantitativos: políticas educacionais e gestão escolar.
4. Estudos quantitativos e a gestão das aprendizagens – a sala de aula.

 

23 de novembro: Livros que ensinam a ensinar: metáforas do magistérioDiana Vidal e Vivian
Batista da Silva

 

Ementa:

O minicurso intitulado Livros que ensinam a ensinar: metáforas do magistério atenta para
um tipo específico de leituras entre os professores, feitas nas aulas de pedagogia, didática,
metodologia e prática de ensino. Percorrendo alguns títulos escritos desde 1870, será
possível dar visibilidade aos saberes, valores e fazeres “ideais” do magistério sugeridas em
“metáforas”. Analisando as metáforas usadas para orientar os professores, é possível
identificar imagens a partir das quais os saberes pedagógicos são definidos e apresentados
como objetos de leitura para o magistério.

 

25 de novembro: Leituras de formação: biblioteca de professores Diana Vidal, Carlota Boto e
Carolina Mostaro

Ementa:

O minicurso intitulado Leituras de Formação: biblioteca de professores será centrado na
reflexão sobre o significado da leitura em bibliotecas. A partir dessa temática, abordará a
construção social da acepção de biblioteca de professores. Em seguida, trabalhará a
biblioteca Paulo Bourroul, à luz de sua história e dos conteúdos pedagógicos de seu
acervo. Sendo assim, trata-se de problematizar o debate sobre a história do livro e da

leitura, estabelecendo um diálogo com a metodologia da pesquisa em história da
educação.

 

30 de novembro: Planejamento da Educação de Qualidade em Ensino Flexível: Reflexão/ Ação/Reflexão – Francisco Cordão

 

Ementa 

1. A Educação de Qualidade exige Flexibilidade no desenvolvimento das atividades de
Ensino, objetivando garantir melhores Resultados de Aprendizagem;
2.  A Educação Flexível é resultado direto da vinculação das atividades de Ensino aos
Resultados de Aprendizagem;
3. A organização do Projeto Pedagógico das Escolas e dos Planos de Atividades do
Professores, para garantir a qualidade, deve atender ao que o interesse do processo de
aprendizagem assim o recomendar;
4. O Planejamento da Educação de Qualidade em Ensino Flexível só faz sentido em um
continuum de: Reflexão/Ação/Reflexão/Ação/etc.
5. A avaliação da aprendizagem dos estudantes é de caráter diagnóstico, objetivando
subsidiar o prognóstico dos professores para o planejamento e a organização das atividades
de Ensino voltadas para os resultados de Aprendizagem;
6. Educação de Qualidade em Ensino Flexível exige a substituição da escola como
auditório da informação por uma escola que seja laboratório da aprendizagem.

2 de dezembro: Heranças da Educação no Campo no Brasil e a Pedagogia de Alternância – Claudia Passador

Ementa em breve

 

9 de dezembro: Da distância entre ensino e realidade: permanência história – Ana Paula
Magalhães

 

Ementa em breve

 

14 de dezembro: Um passeio preconceitual em espaços de significados do par Igualdade/Diferença – Nilson José Machado

Ementa 

1. O par Igualdade/Diferença: Cidadania e Pessoalidade.
2. O par Igualdade/Equivalência: Equivalência e Ordem.
3. O par Igualdade/Desigualdade: o Mérito e a Iniquidade.

4. O par Simetria/Assimetria: a Dádiva, a Autoridade, a Ética.