Mostra Virtual
Inovações nas Licenciaturas

Licenciaturas Integradas: uma experiência em processo

Aurélia Regina de Souza Honorato, Marcelo Feldhaus, Michele Gonçalves Cardoso (verificar ordem no original)

Desde que foi sancionada em julho de 2015, a resolução N.02/2015/CNE/MEC, que define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura), além da formação continuada como componente essencial da profissionalização docente, os cursos de licenciatura da Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC constituíram uma comissão formada pelos coordenadores e membros dos NDEs, para discutir o documento e iniciar um processo de atualização das matrizes curriculares pensando na integração entre elas. 


Com base nestas novas diretrizes que traziam uma perspectiva de envolver, integrar e articular os diferentes aspectos da formação docente, construímos a muitas mãos a matriz integrada das licenciaturas da UNESC levando em consideração as dimensões política, filosófica, ética e estética que devem postular essa formação. Para tal, os projetos pedagógicos dos cursos de licenciatura, aqui nominados: Artes Visuais, Ciências Biológicas, Educação Física, Física, Geografia, História, Letras, Matemática e Pedagogia - contemplam programas, ações e atividades curriculares de modo a garantir articulação e interlocução entre as diferentes áreas, valorizando a pesquisa e a extensão no processo de apropriação e construção do conhecimento, assim como as dinâmicas pedagógicas que contribuem para o exercício profissional, por meio de visão ampla do processo formativo, seus diferentes ritmos, tempos e espaços, em face das dimensões psicossociais, histórico-culturais, afetivas, relacionais e interativas que permeiam a ação pedagógica. Para a efetivação do projeto de integração algumas características da matriz curricular foram repensadas.


De modo especial, buscou-se criar um núcleo comum para as licenciaturas, espaço que se configurou como oportunidade de diálogo entre os acadêmicos de diversos cursos, que ao trocarem experiências e saberes, promovem reflexões sobre a prática docente cunhando ainda, uma identidade profissional. A configuração dessa identidade é pautada pelos princípios apresentados na missão institucional da universidade, priorizando um perfil profissional baseado na atuação de universidade comunitária. Esse vínculo com a comunidade nos possibilita refletir sistematicamente sobre o cotidiano da sala de aula permitindo pensarmos estratégias para ultrapassar as diversidades na área específica, e principalmente, com as demais áreas do conhecimento o que contribuirá para uma ação mais integrada entre os diversos profissionais no ambiente escolar. 


A atitude colaborativa, que pretendemos que se torne hábito comum no exercício profissional, é estimulada constantemente e vem gerando resultados. Estamos no segundo ano de execução da proposta e já percebemos que as ações de integração são bem acolhidas pelos acadêmicos, que demonstram atitudes colaborativas e inovadoras. Um exemplo foi a realização da I Semana Integrada de Educação – Autonomia e protagonismo na educação, promovida pelos estudantes dos cursos de licenciaturas em junho deste ano. Outro exemplo pode ser observado pelo processo de diálogo e de autonomia promovido nas disciplinas de Prática como Componente Curricular, que se configura como espaço de formação e auto formação reconhecendo e valorizando a atividade discente como parte integrante da carga horária do curso. 


Nosso tempo hoje é dedicado a observação deste processo de implementação destas matrizes e uma constante adaptação do sistema da universidade para acolher uma proposta que rompe com alguns paradigmas da tradição na formação de professores. Acreditamos na inovação presente no projeto das licenciaturas e na reverberação dela nas escolas da região.


Referências

  • MOREIRA, Antonio Flávio; SILVA, Tomaz Tadeu da. Currículo, cultura e sociedade. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2013. 173 p.

  • TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 9. ed. Petropolis, RJ: Vozes, 2014. 317 p. 

  • ZEICHNER, Kenneth M, A pesquisa na formação e no trabalho docente. 2. São Paulo Autêntica 2012 1 recurso online (Docência).

  • Facebook ícone social
  • YouTube
  • Instagram

©2020 por Cátedra de Educação Básica USP.