Mostra Virtual
Inovações nas Licenciaturas

Um Panorama Institucional da Formação de Professores nas Licenciaturas da UERN: desafios e oportunidades

Wendson Dantas de Medeiros (UERN/Pró-Reitor de Ensino de Graduação);
Francisca Maria Gomes Cabral Soares (UERN/Pró-Reitora Adjunta de Ensino de Graduação);
Josélia Carvalho (UERN/ Coordenadora dos Programas formativos – SPF UERN);
Adriana Jales (UERN/ Diretora de Cursos de Graduação – DCG - UERN).

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), localizada no interior do estado Potiguar, possui 30 cursos de licenciaturas. A referida Instituição disponibiliza para as redes públicas e privadas o maior número de professores para a educação básica. A apresentação de um panorama das ações institucionais que congregam os programas formativos, justifica-se devido ao impacto formativo advindo das propostas de formação inicial vigentes na graduação e de formação continuada e em serviço que acontecem com a Educação Básica, numa parceria Escola/Universidade.


Diante do exposto, nos propomos, neste encontro apresentarmos a estrutura e a dinâmica da gestão da UERN, frente à necessidade de promovermos a elaboração de propostas formativas por meio de ações que, alinhadas com as políticas externas, influenciam a nossa política interna de formação para a docência. Nesse direcionamento, a estrutura organizacional conta com um Diretoria de Curso de Graduação (DCG) e um Setor de Programas Formativos (SPF). A DCG faz assessoramento aos cursos e orienta junto aos Núcleos Docentes Estruturantes (NDEs) o processo de atualização/construção dos Projetos Pedagógicos de Cursos (PPC) e a tramitação desses para avaliação no Conselho Estadual de Educação (CEE), além de planejar, estruturar e propor para apreciação e aprovação, ao Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE), o calendário acadêmico linkado com as ações das demais Pró-reitorias.


No que se refere ao SPF, o setor congrega os programas formativos e projetos, submetidos por meio de editais externos e internos, organizando o fluxo, trabalhando com comissões docentes e com a participação de técnicos administrativos na submissão de propostas institucionais em editais nacionais e da própria IES. Os programas formativos atuais vinculados com as licenciaturas são: PARFOR, RESPED, PIBID e PET, além de congregar o Programa Institucional de Monitoria e Projetos de Ensino. Assim, passam por esses dois setores a vida acadêmica de alunos e professores, sendo pautadas na rotina institucional tanto o conteúdo acadêmico como a gestão de bolsas que fomentam esses processos.


Nesse contexto, contempla-se o tratamento à diversidade tendo em vista a dimensão política, social e cultural, considerando nosso território de pertença que é uma educação contextualizada para o semiárido nordestino. Como resultado, observamos e registramos cotidianamente que para além de uma formação acadêmica, a dinâmica instituída nas licenciaturas demanda uma formação humana. Nesse movimento, percebemos a necessidade de constantemente estudarmos a reconfiguração das práticas, porque situadas em tempos e espaços específicos necessitam ser revisitadas.


Nessa perspectiva de inovação de nossas ações, elaboramos recentemente uma política interna “Escola de Aplicação e aprendizagem colaborativa” a ser implementada inicialmente na educação infantil a fim de junto com a escola problematizarmos situações desafiadoras que ainda permeiam a educação potiguar e depois desse primeiro momento avançarmos para os demais níveis da Educação Básica. 


Palavras-chave: Formação docente. Práticas Institucionais. Formação Humana.


Referências

Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Plano de Desenvolvimento Institucional - Projetando o futuro da universidade: 2016/2026 / Universidade do Estado do Rio Grande do Norte; Aldo Gondim Fernandes (organizador). - Mossoró – RN, 2016. 100 f.

  • Facebook ícone social
  • YouTube
  • Instagram

©2020 por Cátedra de Educação Básica USP.