Mostra Virtual
Programas, projetos e iniciativas para formação de professores

Localização e reconhecimento do patrimônio científico educativo na cidade de São Paulo – Fase 1

Katya Mitsuko Zuquim Braghini, Raquel Quirino Piñas, Danielle Barreto Lima

Busca-se com este projeto apresentar um histórico sobre os materiais didáticos científicos em circulação na cidade de São Paulo entre os anos de 1858 e 1933. O recorte temporal se inicia com a abertura da Escola Normal (1846) e termina com a instituição do Código de Educação em São Paulo (1933), quando novas perspectivas sobre o ensino de ciências são apontadas.
No estado de São Paulo, a aquisição de materiais científicos acompanhou os discursos educacionais que pregavam pelo avanço das ciências no currículo escolar, a qual, no final do século XIX, passou a valorizar os conhecimentos tecnocientíficos. Instituições de ensino de todos os tipos passaram a comprá-los, vistos como elementos distintivos que as posicionavam entre as escolas modernas; igualmente para exibi-los como curiosidades ou para dar prestígio diante da concorrência. Por outro lado, fabricantes dotavam-nas com os seus produtos, estimulando a circulação comercial; também informavam os professores sobre o funcionamento desses mesmos objetos, inclusive demarcando procedimentos de aula.
Em relação ao ensino público, progressivo, simultâneo que se construía neste mesmo momento, percebe-se, paralelamente, a difusão da ideia de que professores e diretores de escolas deveriam ser sujeitos divulgadores de conhecimento científicos, preocupados com as questões higienistas vigentes. Entretanto, não se pode dizer que esses episódios de grandes compras são prioridade apenas dos grandes colégios públicos. Do mesmo modo, não se pode afirmar que tal movimento aconteceu de forma equânime, para todas as escolas públicas, fossem elas primárias ou secundárias. No entanto, pouco ou quase nada se sabe sobre o paradeiro desse material.
Este projeto está centrado na perspectiva de investigação da cultura material científica, usada para fins educacionais, no âmbito de discussão sobre o patrimônio científico-educativo e faz parte de um programa de pesquisa maior já desenvolvido no PEPG-EHPS/PUC-SP. Trata-se, portanto, da localização e do registro dos objetos usados para o ensino de ciências remanescentes na cidade de São Paulo. O projeto pretende a criação de um instrumento de pesquisa que defina, a localização, o estado de conservação das peças e suas tipologias, pensados a partir de critérios museológicos. Tal trabalho está amparado nos estudos da história da educação, visando uma história da educação em ciências.
Como metodologia pretende a geolocalização dos acervos para o ensino das ciências por meio de gerenciamento de dados pelas plataformas OneNote (captação de dados) e AirTable (colecionismo de dados), com vínculo de localização pelo GoogleMaps. Essas ferramentas pretendem uma conexão imediata com o público interessado, pensando a ciência aberta e comum. Visa estimular as comunidades das respectivas escolas à participação no projeto. É projeto de extensão e formação de professores e alunos, voltado ao conhecimento e à valorização do patrimônio histórico educativo, mas também, à constituição de novos patrimônios coletivos, pensando um compositório de histórias sobre a escolas escolhidas para o projeto a partir da alimentação dos dados e das discussões que são geradas por eles.
Como produtos serão criados e disponibilizados os instrumentos de coleta de informações, os dados da pesquisa, a coleção virtual dos acervos encontrados, a publicização da pesquisa no site do Núcleo de Memória do Centro de Referência Mário Covas ao término do trabalho este pesquisa em si, mas que, depois, se pretende um espaço virtual para a alimentação constante das memórias das respectivas escolas. No plano de investigação esse projeto está conectado com uma rede de pesquisa nacional e internacional, composta pela seguintes instituições: UNIFESP, UNESP, UFMG, Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC-Madrid).

Referências

BERNAL MARTÍNEZ, José Mariano; DELGADO MARTÍNEZ, María Angeles; LÓPEZ MARTÍNEZ, Damián. El patrimonio histórico-científico como recurso didáctico de la ciencia em el laboratorio a las ciencias para la vida In: BERRUEZO ALBÉNIZ, María Reyes; CONEJERO LÓPEZ, Susana (Coord.). El largo camino hacia una educación inclusiva: la educación especial y social del siglo XIX a nuestros días: XV Coloquio de Historia de la Educación. Pamplona- Iruñea: Universidad Publica de Navarra, 2009. v.2, p.605-614.
BRAGHINI, Katya M. Z. Como e por que estudar a educação dos sentidos: trajetórias e motivações. In: BRAGHINI, Katya; MUNAKATA, Kazumi; TABORDA DE OLIVEIRA, Marcus Aurélio.(orgs.). Diálogos sobre a história da educação dos sentidos e das sensibilidades. Curitiba: Ed. UFPR, 2017.
BRAGHINI, Katya M. Z. What we know on the transnational circulation of objects used in science teaching (19th century and early 20th century); synthesis of researches, scientific pedagogical market, exemplary objects. Standing Working Group “Objects, Senses and the Material World of Schooling”. International Standing Conference on the History of Education (ISCHE), Chicago, 2016.
BRAGHINI, Katya M Z., ASSIS, Paula Maria de; PEDRO, Ricardo T., PINÃS, Raquel Q. Apresentação da ficha de inventário e história do museu escolar do Colégio Marista Aqrudiocesano de São Paulo. Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico Educativo. Campinas (SP), volume 2, n° 2, jan-jun, 2016, pp. 73-91.
BRAGHINI, Katya M Z., PEDRO, Ricardo T., PINÃS, Raquel Q. Museu Escolar do Colégio Marista Arquidiocesano de São Paulo: constituição, histórico e primeiros movimentos de salvaguarda da coleção. Revista da Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), v. 21, n. 31, 2014.
GRANATO, Marcus. Reflexões sobre o Patrimônio Cultural da Ciência e Tecnologia na Atualidade. Revista Memória em Rede. Pelotas, v. 2, n. 4, dez.2010/mar. 2011, pp. 85-104.
GRANATO, Marcus; LOURENÇO, Marta C. Coleções científicas luso-brasileiras: patrimônio a ser descoberto. Rio de Janeiro: MAST, 2010.
HEERING, Peter. History of Science and Science Education: New Conceptions, Old Instruments and Developing Institutions. Interchange. November Volume 45, Issue 3–4, 2014, pp 115–117.
MARCHI DA SILVA, Camila. Museus Escolares no Estado de São Paulo (1879-1942). Mestrado em Educação. PEPG em Educação: História, Política, Sociedade da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2015.
MELONI, Reginaldo. Saberes em Ciências Naturais: o ensino de Física e Química no Colégio Culto à Ciência de Campinas – 1873/1910, Doutorado em Educação, Unicamp, 2010.
PESTRE, Dominique. Por une histoire sociale et culturelle des sciences. Nouvelles définitions, nouveaux objets, nouvelles prtiques. In: Annales. Histoire, Sciences Sociales. 50e année, n. 3, 1995, pp. 487-522.
WARDE, Mirian Jorge. O futuro está nas mãos da psicologia e da pedagogia científica (São Paulo, dos anos dez aos anos trinta do século XX). Anais do XVII Encontro Regional de História – O lugar da História. ANPUH/SPUNICAMP. Campinas, 6 a 10 de setembro de 2004. Cd-rom.
WARNIER, Jean-Pierre. Construire la Culture Materielle. L’homme qui pensait avec ses doigts. Paris: Presses Universitaires de France, 1999, p. 11 e 14.
ZANCUL Maria Cristina. Objetos remanescentes nas primeiras escolas secundárias públicas do Estado de São Paulo, IV Seminário Internacional Cultura Material e Patrimônio da Ciência e Tecnologia, Rio de Janeiro, 05 a 08 de dezembro de 2016.

  • Facebook ícone social
  • YouTube
  • Instagram

©2020 por Cátedra de Educação Básica USP.