Buscar
  • danielterra5

Mário de Andrade: Administrar via Cultura, Revolução Educativo-Cultural na Ex-Paulicéia Desvairada

Cátedra Alfredo Bosi de Educação Básica retoma suas atividades em agosto

A Cátedra Alfredo Bosi de Educação Básica retoma suas atividades no 2º semestre com uma palestra do professor Luiz Roberto Alves, no dia 04 de agosto, às 19h. A transmissão ocorrerá pelo Canal da Cátedra no Youtube.


Luiz Roberto Alves foi professor da educação básica pública por 23 anos. Atualmente é professor livre-docente e professor sênior da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e professor titular da Universidade Metodista. Assessora movimentos sociais em temas de educação, cultura e políticas sociais. Seu mais recente trabalho de pesquisa se centra no período histórico brasileiro de 1920 a 1945, tratando do desdobramento modernista e das transformações das grandes cidades e o autoritarismo do Estado-Novo.


Abaixo, leia o texto na íntegra do professor Luiz Roberto Alves sobre o evento de abertura:


A pesquisa sobre documentos do Instituto de Estudos Brasileiros da USP revela uma administração pública excepcional de cultura e educação entre 1935 e 1938 na cidade de São Paulo, então com cerca de 1 milhão de habitantes. Sob o governo do prefeito Fábio da Silva Prado, aquele serviço à res publica cultural-educativa foi dirigido por Mário de Andrade, líder do Movimento Modernista e uma equipe de intelectuais presentes e atuantes ao tempo chamado de estouro e libertação nos anos de 1920.


A busca pela constituição de uma cultura institucional pelo pesquisador supera a estratégia de trabalho, pois evidencia uma radical inversão de prioridades da fruição cultural, que passa das mãos de supostas elites culturais paulistanas para a juventude, migrantes e imigrantes que já corriam o risco de exclusão da pequena metrópole. Do mesmo modo, o entendimento da equipe dirigente da DCR de que a educação só se totaliza na cultura move todo o projeto cultural (música, cinema, pesquisa etnográfica, criação folclórica, biblioteca etc) ao amálgama com a ação educativa; isso se realiza nos bairros populares de São Paulo e enriquece o conhecimento culturalmente compartilhado.


Quase toda essa ação ímpar foi desmantelada no golpe do estado novo em 1938. O pesquisador reconhece a influência intelectual de Antônio Cândido, cujas observações sobre aquela administração e sobre Mário foram geradoras de pesquisa. Aquela administração foi um ponteiro para o futuro democrático do Brasil.


Para maiores informações sobre a programação de eventos da Cátedra no 2º semestre, acesse a nossa agenda.


0 visualização0 comentário